Posts Tagged ‘problema’

Quem é o culpado?

abril 12, 2010

Não gosto muito desses e-mails virais que circulam pela internet. São lixo virtual.  Porém alguns são muito interessantes e fazem pensar. Segue o e-mail da Carta do Zé Agricultor. Uma leitura muito interessante. O texto é atribuído a Luciano Pizatto.

Carta do Zé agricultor para Luis da cidade
Autor: Luciano Pizzatto (*)

Luis,

Quanto tempo. Sou o Zé, seu colega de ginásio, que chegava sempre atrasado, pois a Kombi que pegava no ponto perto do sítio atrasava um pouco. Lembra, né, o do sapato sujo. A professora nunca entendeu que tinha de caminhar 4 km até o ponto da Kombi na ida e volta e o sapato sujava.

Lembra? Se não, sou o Zé com sono… hehe. A Kombi parava às onze da noite no ponto de volta, e com a caminhada ia dormi lá pela uma, e o pai precisava de ajuda para ordenhá as vaca às 5h30 toda manhã. Dava um sono. Agora lembra, né Luis?!

Pois é. Tô pensando em mudá aí com você.
Não que seja ruim o sítio, aqui é uma maravilha. Mato, passarinho, ar bom. Só que acho que tô estragando a vida de você Luis, e teus amigos aí na cidade. Tô vendo todo mundo falá que nóis da agricultura estamo destruindo o meio ambiente.

Veja só. O sítio do pai, que agora é meu (não te contei, ele morreu e tive que pará de estudá) fica só a meia hora aí da Capital, e depois dos 4 km a pé, só 10 minuto da sede do município. Mas continuo sem Luz porque os Poste não podem passar por uma tal de APPA que criaram aqui. A água vem do poço, uma maravilha, mas um homem veio e falô que tenho que fazê uma outorga e pagá uma taxa de uso, porque a água vai acabá. Se falô deve ser verdade.

Pra ajudá com as 12 vaca de leite (o pai foi, né …) contratei o Juca, filho do vizinho, carteira assinada, salário mínimo, morava no fundo de casa, comia com a gente, tudo de bão. Mas também veio outro homem aqui, e falô que se o Juca fosse ordenhá as 5:30 tinha que recebê mais, e não podia trabalhá sábado e domingo (mas as vaca não param de fazê leite no fim de semana). Também visitô a casinha dele, e disse que o beliche tava 2 cm menor do que devia, e a lâmpada (tenho gerador, não te contei !) estava em cima do fogão era do tipo que se esquentasse podia explodí (não entendi ?). A comida que nóis fazia junto tinha que faze parte do salário dele. Bom, Luis tive que pedi pro Juca voltá pra casa, desempregado, mas protegido agora pelo tal homem. Só que acho que não deu certo, soube que foi preso na cidade roubando comida. Do tal homem que veio protege ele, não sei se tava junto.

Na Capital também é assim né, Luis? Tua empregada vai pra uma casa boa toda noite, de carro, tranquila. Você não deixa ela morá nas tal favela, ou beira de rio, porque senão te multam ou o homem vai aí mandar você dar casa boa, e um montão de outras coisa. É tudo igual aí né?

Mas agora, eu e a Maria (lembra dela, casei ) fazemo a ordenha as 5:30, levamo o leite de carroça até onde era o ponto da Kombi, e a cooperativa pega todo dia, se não chove. Se chove, perco o leite e dô pros porco.

Té que o Juca fez economia pra nóis, pois antes me sobrava só um salário por mês, e agora eu e Maria temos sobrado dois salário por mês. Melhorô. Os porco não, pois também veio outro homem e disse que a distancia do Rio não podia ser 20 metro e tinha que derruba tudo e fazer a 30 metro. Também colocá umas coisa pra protegê o Rio. Achei que ele tava certo e disse que ia fazê, e sozinho ia demorá uns trinta dia, só que mesmo assim ele me multô, e pra pagá vendi os porco e a pocilga, e fiquei só com as vaca. O promotor disse que desta vez por este crime não vai me prendê, e fez eu dá cesta básica pro orfanato.

O Luis, ai quando vocês sujam o Rio também paga multa né?

Agora, a água do poço posso pagá, mas tô preocupado com a água do Rio. Todo ele aqui deve ser como na tua cidade Luis, protegido, tem mato dos dois lado, as vaca não chegam nele, não tem erosão, a pocilga acabô …. Só que algo tá errado, pois ele fede e a água é preta e já subi o Rio até a divisa da Capital, e ele vem todo sujo e fedendo aí da tua terra.

Mas vocês não fazem isto né Luis. Pois aqui a multa é grande, e dá prisão. Cortá árvore então, vige!! Tinha uma árvore grande que murcho e ia morre, então pedi pra eu tiráa, aproveitá a madeira pois até podia cair em cima da casa. Como ninguém respondeu aí do escritório que fui, pedi na Capital (não tem aqui não), depois de uns 8 mês, quando a árvore morreu e tava apodrecendo, resolvi tirar, e veja Luis, no outro dia já tinha um fiscal aqui e levei uma multa. Acho que desta vez me prende.

Tô preocupado Luis, pois no rádio deu que a nova Lei vai dá multa de R$ 500,00 a R$ 20.000,00 por hectare e por dia da propriedade que tenha algo errado por aqui. Calculei por R$ 500,00 e vi que perco o sítio em uma semana. Então é melhor vendê, e ir morá onde todo mundo cuida da ecologia, pois não tem multa aí. Tem luz, carro, comida, rio limpo. Olha, não quero fazê nada errado, só falei das coisa por ter certeza que a Lei é pra todos nóis.

E vou morar com vc, Luis. Mais fique tranqüilo, vou usá o dinheiro primeiro pra compra aquela coisa branca, a geladeira, que aqui no sítio eu encho com tudo que produzo na roça, no pomar, com as vaquinha, e aí na cidade, diz que é fácil, é só abri e a comida tá lá, prontinha, fresquinha, sem precisá de nóis, os criminoso aqui da roça.

Até Luis.

Ah, desculpe Luis, não pude mandar a carta com papel reciclado pois não existe por aqui, mas não conte até eu vendê o sitio.

* É engenheiro florestal, especialista em direito socioambiental e empresário, diretor de Parques Nacionais e Reservas do IBDF/IBAMA 88/89, deputado desde 1989, detentor do 1º Prêmio Nacional de Ecologia.

É de fazer pensar hein…

Abraços a todos

DC

Anúncios

Olha, olha, olha, água mineral

março 22, 2010

Bebeu água, não!
Tá com sede, tô!
Olha, olha, olha, olha a água mineral
Água mineral
Água mineral
Água mineral
Do Candeal
Você vai ficar legal

Carlinhos Brown

No dia Mundial da água, diversas notícias saíram reportando a situação da água no Brasil e no mundo. “Acesso à água potável é questão de direitos humanos” noticia Carlos Araújo, da Rádio ONU em Nova York. “Quase 900 milhões sem acesso a água potável” noticia o a agência de notícias Envolverde.

Bom e a história do “Terra, Planeta Água”?

Planeta Água
Guilherme Arantes
Composição: Guilherme Arantes

Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão…

Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população…

Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos…

Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d’água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão…

Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação…

Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra…

Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água…(2x)

Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão…

Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população…

Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra…

Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água…(2x)

Como uma ironia, o Planeta Água possui um grave problema: a falta de água potável. Caro leitor, a pergunta que surge naturalmente aqui é: Mas por quê?

Continuando a pesquisa pela internet, temos:

“45 bi de litros de água no ralo”. Número refere-se à perda de água tratada em seis cidades da região em 2009; volume daria para abastecer dois municípios (link no final do post).

Esta notícia relata o desperdício de água nos município do ABCD de São Paulo. Imagina isso no mundo todo? Doeu essa não? O problema de você ser um questionador é que há perguntas que machucam.

Chegando ao ponto: O próprio homem produz o seu problema. Então é por meio dele que iremos resolvê-lo. Necessitamos de rever nossos hábitos.

Não vou mergulhar em mais perguntas pois o imperativo da mudança de hábito é urgente. Necessário. Neste dia mundial da água, faça uma reflexão: Em que posso mudar?

Estatísticas para refletir:

Para refletir I

Apenas 3% de toda a água do Planeta são próprias para consumo. O restante é salgada demais para ser consumida.

Dos 1,1 bilhão de pessoas, ou um sexto da população mundial, não tem acesso à água potável. A ONU calcula que por dia morram seis mil pessoas por doenças ligadas ao consumo de água contaminada.

No Brasil, em pleno século 21, apenas 51,3% das residências têm saneamento básico.

De acordo com a ONU, no mundo 1 bilhão de pessoas sofrem com o problemas de escassez de água.

A poluição industrial deixou de ser o único vilão da história. O maior problema hoje enfrentado, principalmente, nos grandes centros é a poluição doméstica. Dois milhões de toneladas de lixo são lançados em cursos de água todos os dias no mundo. Quanto aos efluentes industriais 70% são lançados sem tratamento adequado nas águas.

Em 2005, cerca de 2,8 bilhões de pessoas viviam em áreas onde o consumo de água excedia em 40% a capacidade dos recursos disponíveis. Este número poderá chegar a 3,9 bilhões em 2030, caso políticas mais eficientes não sejam adotadas de imediato.

Fonte: Jornal O Globo – 22/03/2009

Para refletir II

Embora o Brasil detenha 12% da água do Planeta, o país enfrenta problemas de distribuição desigual.

2,6 milhões de pessoas no mundo vivem sem saneamento.

US$ 56 bilhões são os investimentos previstos para novas plantas de dessalinização no mundo todo até 2030.

US$ 772 bilhões são a média anual de investimentos globais necessários para suprir até 2015 serviços de água e esgoto no mundo.

900 crianças morrem diariamente todos os dias por problemas ligados à água.

1,8 milhão de pessoas morrem diariamente por doenças de veiculação hídrica.

US$ 400 bilhões por ano é quanto movimenta o mercado global para infraestrutura de água e saneamento.

2 milhões de toneladas de lixo são lançadas em cursos d’água todos os dias.

24 milhões de quilômetros cúbicos de água doce do planeta se encontra sob a forma de gelo ou neve em regiões de montanhas, na Antártica ou no Ártico.

Cerca de 30% da água doce está no subsolo, em pântanos, no permafrost ou em bacias profundas a 2 mil quilômetros da superfície. Isso significa 97% da água em potencial do Planeta.

Cerca de 70% da água usada no mundo vai para a irrigação, 22% é empregada na indústria, 8% é consumo doméstico.

Cerca de 70% dos efluentes industriais, nos países em desenvolvimento, são lançados sem tratamento, em corpos de água.

2 a 4 litros é o consumo diário de água para cada pessoa, mas são necessários entre 2 mil a 5 mil litros de água para produzir a quantidade diária de alimentos por pessoa.

Entre 1991 e 2000 mais de 665 mil pessoas morreram em 2.557 desastres naturais, 90% desses eventos estavam relacionados com a água.

Em 60 das cidades européias com mais de 100 mil habitantes a água do subsolo tem sido utilizada a uma velocidade maior que a capacidade de reposição.

A população mundial de 6 bilhões de pessoas usa 54% de toda a água doce acessível e encontradas em rios, lagoas e aquíferos no subsolo.

O Painel Intergovernamental de Mudança Climática (IPCC) estima que a produtividade da agricultura que depende da chuva pode cair 50% em 2020.

Terras irrigadas no mundo somam 277 milhões de hectares, cerca de 20% de todas as áreas plantadas. Os outros 80% correspondem a agricultura que sobrevive da chuva.

A irrigação aumenta a produtividade das colheitas de 100% a 400% e culturas irrigadas respondem atualmente por 40% da produção de alimentos do mundo.

Desde 1900 o mundo perdeu metade das áreas pantanosas.

O setor alimentício é responsável por 40% dos poluentes orgânicos da água em países de alta renda e por 54% nos países de renda baixa.

Em 2025, 1,8 bilhão de pessoas estarão vivendo em países ou regiões com absoluta escassez de água e dois terços da população mundial viverá em condições de falta de água.

Fonte: World Water Assessment Programme, Food and Agriculture Organization (ONU), Global Environment Outlook (GEO-4), Human Development Report 2006, World Business Council for Sustainable Development, United Nations Environment Programme (Unep).

Publicado no Valor Econômico – Valor Especial Água – 03/2009 e Revista EU& -13/02/2009

Links para as matérias:

http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/acesso-a-agua-potavel-e-questao-de-direitos-humanos/

http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/quase-900-milhoes-sem-acesso-a-agua-potavel/

http://www.redebomdia.com.br/Noticias/Dia-a-dia/15458/45+bi+de+litros+de+agua+no+ralo

http://sabercuidar.org/?p=233