Posts Tagged ‘política’

Ciência de governar

junho 6, 2011

Mais uma citação de Eça de Queiroz, que explica muita coisa do nosso Brasil…

Anúncios

Vocês estão demitidos

maio 15, 2011

No primeiro caderno do O GLOBO desse domingo, há uma reportagem sobre a situação das votações no parlamento brasileiro. Um processo moroso, onde acordos internacionais, leis, e todos aqueles instrumentos da dita “demo(buro)cracia” demoram anos e anos para serem votados.

Pensei: E se o parlamento fosse uma empresa? Todos eles seriam demitidos na certa. Eles não geram resultados no timing demandado. Aliás, os resultados que, eu diria, são duvidosos em certo momento.

Acredito que os processos de aprovação, votação, devem ser analisados criticamente. As negociações ocorrem por baixo dos procedimentos, indo e voltando em uma maré onde o povo banca esse processo todo.

Henri Ford constría um carro em minutos. Por que não conseguimos algo melhor? Nós demoramos anos para votar uma lei, medida provisória….

Será que se atrelarmos benefícios com produtividade daria certo?

Aliás, espero que nosso ilustríssimo Gerdau atue na morosidade do estado brasileiro.

Sds,

DC

Impulso ou Incentivo?

fevereiro 19, 2011

Nesse sábado, mais um artigo do palestrante Luciano Pires, retirado do site Portal Café Brasil.

 

No intervalo de uma palestra, ao assistir a posse do Deputado Everardo Oliveira da Silva, ex-Tiririca, me perguntei o que leva um artista a seguir a carreira política?

Para refletir a respeito partirei de dois crimes recentes: o do goleiro acusado de mandar matar a amante, sumindo com o corpo, e o do advogado acusado de afogar a ex-namorada na represa. A coisa mais importante para solucionar esses crimes é simples: a motivação. Encontrada a motivação, a solução aparece. No caso do goleiro Bruno, a motivação foram as ameaças da vítima de contar o que sabia. No crime contra a advogada, a motivação não está clara e o suspeito continua livre.

Tudo que fazemos (tá bem, quase tudo), fazemos por algum motivo, já dizia Miguel de Cervantes: “Tirado o motivo, tirado o pecado”.

Existem várias definições para “motivação”. Uma que gosto muito é: motivação é o processo físico e psicológico que nos impulsiona em direção a um objetivo definido. Portanto motivação é um processo, uma somatória de forças. Se a motivação vem de dentro, é impulso. Vinda de fora, é incentivo.

Por exemplo, digamos que você é um homem heterossexual, essa coisa tão fora de moda. Sua necessidade de sexo (de dentro para fora) é o impulso que leva você a sair para “azarar” na noite. E a visão (de fora para dentro) da Mulher-Pêra na pista de dança da balada é o incentivo para que você tente abordá-la. É a soma do impulso com o incentivo que motiva a ação. Se a única “moça” que você encontrar na balada for um travesti, o impulso terá que ser muito forte para complementar o fraco incentivo. A não ser que você seja chegado, é claro… E a recíproca é verdadeira. Uma mulher maravilhosamente sexy é o incentivo que desperta um fraco impulso.

Bem, mas esse é tema pra psicólogos. O que quero aqui é refletir sobre a motivação para alguém escolher a carreira de político.

Pensando no impulso (de dentro para fora) conclui que pode ser a vontade de fazer o bem a seus semelhantes, de contribuir como cidadão. Pode ser a necessidade de impedir que bandidos tomem conta do bem público; a vontade de contribuir para o progresso do país. Legal, né?

Mas ao refletir sobre o incentivo (de fora para dentro), tomei um susto: ganhar muito dinheiro fácil; ter todo tipo de mordomia; ser bajulado como autoridade; arrumar aposentadoria com pouco tempo de trabalho; arranjar a vida de parentes; faltar no trabalho sem problemas…

Ué, é claro! O incentivo não vem de fora pra dentro, das coisas e exemplos que vejo? Então…

Tô aqui pensando. O que será que foi mais forte pro Deputado Tiririca e para a maioria de seus colegas?

Impulso ou incentivo?

Luciano Pires

Comece com você

dezembro 27, 2010

Todos reclamamos dos governantes. Porém, esquecemos que eles são reflexo de toda uma sociedade. Uma das grandes mensagens que este blog tenta passar é para que todos nós sejamos a mudança que queremos ver no mundo.

Este texto veio a mim por e-mail (um desses e-mails virais da internet). Como o próprio assunto do e-mail diz, É PURA VERDADE.

Tá Reclamando do Lula? do Serra? da Dilma? do Arrruda? do Sarney? do Collor? Do Renan? do Palocci? do Delubio? Da Roseanne Sarney? Dos politicos distritais de Brasilia? do Jucá? do Kassab? dos mais 300 picaretas do Congresso? E você?

Brasileiro Reclama De Quê?

O Brasileiro é assim:

1. – Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

2. – Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

3. – Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

4. – Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.

5. – Fala ao celular enquanto dirige.

6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

7. – Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.

8. – Viola a lei do silêncio.

9. – Dirige após consumir bebida alcoólica.

10. – Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

11. – Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.

12. – Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

13. – Faz ” gato ” de luz, de água e de tv a cabo.

14. – Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

15. – Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.

16. – Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

17. – Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.

18. – Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

19. – Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

20. – Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

21. – Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.

22. – Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

23. – Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

24. – Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

25. – Frequenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

26. – Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis…. como se isso não fosse roubo.

27. – Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

27. – Falsifica tudo, tudo mesmo… só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

28- Mente a idade para tomar vacina que o governo estipulou faixa etária,para poder atender os mais criticos.

30. – Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

31. – Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.  

32- Mente idade dos filhos para pagar mais barato em estabelecimentos como parques e cinemas.

33- Percebe que a moça do caixa se atrapalhou e deu troco a mais ou deixou de cobrar algo e finge que não percebeu.Ainda sai contando vantagem para todo mundo.

E quer que os políticos sejam honestos…

Escandaliza- se com a farra das passagens aéreas…

Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?

Brasileiro reclama de quê, afinal?

(Cada povo tem o governo que merece)

E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!

Vamos dar o bom exemplo !

Espalhe essa idéia !

A mudança deve começar dentro de nós, nossas casas, nossos valores, nossas atitudes e assim provavelmente, um dia teremos politicos melhores !

Novo cenário político

dezembro 17, 2010

Em meio a notícias de aumento de salário para os nossos políticos e a chegada de Vossa Excelência Tiririca (estou aguardando anciosamente seu primeiro pronunciamento na câmara), segue uma ilustração sobre o novo cenário político para os próximos 4 anos.

Mas minha esperança ainda existe!

Saudações,

DC

Vote na Web

junho 11, 2010

Mais uma ferramenta para ficarmos na cola dos deputados! O site votenaweb cria uma plataforma de acompanhamento das leis e um espaço simulado de plebiscito. Você concorda com o projeto de lei? Vote lá! Não concorda? Vota lá também!! Graças a Deus a tecnologia está a serviço do povo!

Será que o Lula fica bem de saia justa?

junho 11, 2010

Acho que é essa a pergunta que todos os nossos parlamentares do legislativo estão fazendo. Como uma forma de criar uma guerra entre as esferas municipais e estaduais contra a federal, as Vossas Excelências Senadores aprovaram uma lei anti-constitucional sobre os royalties do petróleo. Querem uma divisão igual para os estados, e os estados que perderem, a União vai pagar. Só não falaram como.

Sem falar em outras questões polêmicas como o aumento para os aposentados e fim do fator previdênciário.

Há um tentativa clara de aprovar leis, que como cidadão eu aplaudo, mas se fosse em outras épocas dificilmente seriam aprovadas (e sabemos disso), para fazer com o Lula vetar e ficar mal na foto. Aí já viu né… Ele tentando eleger Dilma…

E depois falam que eles queriam o melhor do povo e o governo atual que não quis! Bando de hipócritas. Quero ver aprovar essas leis no meio do mandato de 4 anos!

Senhora e Senhores, essa é a política brasileira! A política corrupta, mesquinha. Alteram tempos verbais para segurar os ladrões que estão aí manipulando o sistema.

Ficamos atentos aos cargos do executivo e nem lembramos quem votamos no legislativo. Espero que mude no próximo ano.

Pronto. Desabafei.

Abraços a todos,

DC

Projeto Excelências

maio 16, 2010

O projeto Excelências traz informações sobre todos os parlamentares em exercício nas Casas legislativas das esferas federal e estadual, e mais os membros das Câmaras Municipais das capitais brasileiras, num total de 2368 políticos. Os dados são extraídos de fontes públicas (as próprias Casas legislativas, o Tribunal Superior Eleitoral, tribunais estaduais e superiores, tribunais de contas e outras) e de outros projetos mantidos pela Transparência Brasil, como o Às Claras (financiamento eleitoral) e o Deu no Jornal (noticiário sobre corrupção).

Realidade não é nada, imagem é tudo

maio 14, 2010

A Fuvest divulgou as melhores redações do vestibular deste ano. Entendi, através das redações que li, que a temática desse ano é a presença da imagem, do simbolismo, na vida humana. Encontrei uma redação que fala sobre a questão das eleições, simbologia, imagem. Achei interessante, sobretudo no momento pré-eleitoral que nos encontramos. Infelizmente as redações de concursos não são identificadas, por isso não poderei dar os devidos créditos ao autor. Vou transcrevê-la:

O Espetáculo do Estado

Vivemos em um mundo em que as relações sociais passaram a ser mediadas quase completamente por imagens. Esse contexto, caracterizado em 1968 por Guy Debord como “sociedade do espetáculo”, nos faz refletir como as instiutições atuais já não precisam “ser” e as vezes nem mesmo “ter”, mas somente “parecer”.

Vejamos o Estado, isso é, o conjunto das instituições que exercem poder político legitimado. A população só se relaciona com ele através de imagens. Não podemos saber muito mais do que é apresentado na TV e a sua própria existência para nós não passa muito de bandeiras, obras e figuras políticas. Não existe participação no Estado, fazendo com que não haja uma realidade substituída por imagem, mas puramente imagens. Dessa forma, a política passa a ser (conjuntamente com a  história) um espetáculo assistido.

A única forma de participação popular são as eleições, em que apenas se escolhe quem irá comandar. E isso é feito exclusivamente por imagens, pelas propagandas políticas. Não conhecemos realmente os candidatos e cada vez há menos discussões sobre projetos políticos e lados a defender. Votamos apenas em uma imagem criada por marqueteiros que se aprsentam como bom universal.

Dessa forma, o Estado se apresenta apenas como um conjunto de imagens externas, as quais só se cabe assistir. Essa falta de participação é idêntica a uma pequena possibilidade de liberdade política, e cria uma legitimidade absurda para o Estado. O indivíduo pouco ou nada pode, só lhes resta assistir, e ficar contente observando uma boa imagem (criada externamente).

O que estamos deixando de herança para a próxima geração? De que a democracia é construída por imagens? De que não há mais nada a fazer, a não ser assistir?

Este é o motor da passividade política do povo brasileiro.

Pense nisso!

Abraços,

DC

Aforismos

maio 13, 2010

” A linguagem política foi desenhada para fazer a mentira soar como verdade, o assassinato respeitável e dar solidez ao simples vento. ” George Orwell