Posts Tagged ‘mundo’

Sabedoria do mundo

maio 12, 2011

Quatro linhas. 17 palavras. Acha pouco? quase nada, né. Ledo engano. Os gênios fazem tudo que querem.

Sabedoria do Mundo

Não fiques em terreno plano.
Não subas muito alto.
O mais belo olhar sobre o mundo
Está a meia encosta.

Friedrich Nietzsche, in “A Gaia Ciência”

Anúncios

We feel fine

março 18, 2011

Hoje a coluna do Blog Inspiração Coletiva. Como você está? Bem? Não muito bem? E se você perguntasse isso para a humanidade? Bem, é isso que o texto abaixo vai falar…


Como você se sente neste momento?

E como o mundo inteiro está se sentindo agora?

De certa forma, respondemos a essas perguntas todos os dias, ao atualizar nosso status nas redes sociais, ou ao escrever um post no blog. Esse talvez seja um dos maiores benefícios da vida digital: milhões de pessoas têm um espaço para dizer como se sentem.

Há algum tempo conheci um site e fiquei fascinado por ele: “We feel fine”. Esse site desenvolvido por uma ONG, na realidade é um sistema que varre periodicamente todos os webblogs e redes sociais do mundo em busca de frases começando com “I feel…” ou “I’m feeling…”.

Essas frases completas são automaticamente registradas, junto com as possíveis imagens relacionadas, e temos ai um grande panorama das dores e humores do mundo. A novidade é que tem muito mais gente feliz no mundo da internet do que a gente imagina.

Esse sistema também faz o mapeamento por idade, país, gênero, etc… É um grande banco de dados que cruza dados reais e físicos com emoção. Até mesmo os dados meteorológicos de cada cidade ou região são levados em conta.

Nos permite responder a perguntas do tipo: Será que os brasileiros estão naquele momento mais felizes que os americanos? Qual a influência da chuva ou do sol no humor das pessoas? Como os jovens do leste europeu estão se sentindo nesse momento?

Não bastasse tudo isso o design é moderno, inspirador e muito louco. É uma constelação de vidas acessíveis a um clique.

Mudando o mundo

janeiro 8, 2011

Inauguramos nesse sábado, o espaço reservado para os artigos de Luciano Pires. Abaixo, breve texto sobre suas experiências:

Nascido em Bauru, S.P., em 1956, formou-se em Comunicação em 1977 pela Universidade Mackenzie em São Paulo.

A experiência como jornalista e os 26 anos que atuou como executivo de uma multinacional (12 dos quais na função de Diretor) propiciaram uma visão privilegiada da dinâmica do mundo dos negócios e do comportamento das pessoas que desempenham papéis de liderança. Cartunista premiado, tornou-se colunista de vários sites, revistas e jornais, além de produzir e apresentar o programa Café Brasil na rádio Mundial FM (95,7 FM) em São Paulo e apresentar comentários diários no Transnotícias, programa da rádio Transamérica .

Lançou em julho de 2002 seu terceiro livro , O MEU EVEREST, que descreve sua aventura de caminhar em abril de 2001 até o campo base do Everest, no Nepal. Em 2003 lançou seu 4º livro , BRASILEIROS POCOTÓ – Reflexões sobre a Mediocridade que Assola o Brasil, já na sua 7º edição. E em 2009 lançou NÓIS…QUI INVERTEMO AS COISA, uma bofetada nos brasileiros que parece que perderam a capacidade de indignar-se com os desmandos políticos, sociais e empresariais do país.

Mantém hoje um portal bastante popular (www.portalcafebrasil.com.br) com enquetes, fórum, artigos, vídeos, rádio e uma variedade de conteúdo focado nas questões da educação e da luta contra o emburrecimento do Brasil.

A partir do contéudo de seus textos, Luciano transformou-se num dos grandes palestrantes brasileiros, que marca suas apresentações pelo bom humor, idéias provocativas e uso extensivo dos recursos multimídia.

– Se me perguntarem quem sou e o que faço, digo que sou um cartunista interessado na provocAÇÃO, inspirAÇÃO, inovAÇÃO e na transformAÇÃO das pessoas. Reflexão com ação. Só assim venceremos a mediocridade.

O artigo que escolhi para inaugurar essa grade é sobre como podemos mudar o mundo. Completamente alinhado com a mensagem desse Blog. Apreciem sem moderação.

“Uma vez, logo no começo de minha vida profissional, levei um impresso para um cliente aprovar. Era um folheto que mostrava um loteamento numa cidade do litoral de São Paulo. No verso eu havia desenhado – na verdade feito um cartum – um mapa mostrando os caminhos para chegar até a tal cidade. Quando o cliente – um senhor de idade – viu o mapa, ficou fulo! Começou a gritar, dizendo que o mapa não tinha proporções, que uma estrada estava mais curta que a outra, que as cidades não estavam na localização correta, que aquilo estava tudo errado e tinha que ser feito de novo. O homem ficou uma fera e pela expressão do rosto do pessoal que trabalhava com ele, saquei que a coisa era séria. Já antevendo o prejuízo que eu tomaria se tivesse que fazer a arte e os fotolitos outra vez, arrisquei uma explicação ao indignado:

– Senhor fulano, este mapa é apenas ilustrativo. É só uma indicação artística para dar uma idéia de onde fica o loteamento.

O homem soltou um “ah, é artístico?”. E imediatamente parou de bufar, mudou a carranca para um quase sorriso e aprovou o folheto. E eu, que um segundo atrás estava tomando um esporro, não entendi nada…

Anos mais tarde é que fui compreender o que havia acontecido. Minha argumentação mudou a perspectiva do cliente, fazendo com que ele olhasse a situação sob outro ângulo.

Na teoria cognitiva, “perspectiva” é a escolha de uma referência a partir da qual procedemos à decodificação de uma experiência. Quer ver como é?

Uma vez ouvi uma história deliciosa sobre uma criança de oito anos que, durante um vôo comercial, corria pelo corredor, batia nas pessoas, fazia barulho, não parava quieta. É uma história que ilustra perfeitamente a questão da perspectiva. O sujeito que me contou, disse assim:

– “Os pais do moleque, moderninhos, deixavam o filho livre. O demônio quase derrubou meu laptop e uma xícara de café do sujeito que estava na poltrona ao lado. Até que um passageiro perdeu a calma e deu uma descompostura nos pais do garoto. Muito a contragosto os pais prenderam o moleque pelo cinto de segurança na poltrona e o obrigaram a ficar quieto. Então o diabinho começou a chorar, gritar e espernear. O escândalo era pior do que a bagunça pelos corredores, transformando o vôo num inferno. Aumentei o volume do fone de ouvido, mas não adiantou. De repente uma colega que estava sentada à minha frente chamou a aeromoça e lhe disse alguma coisa.

A aeromoça deu um sorriso e foi à cabine do piloto. Curioso, perguntei para a colega o que ela havia dito à comissária, e ela respondeu:

– Em vez de tentar resolver o nosso problema, deveríamos resolver o problema da criança.

Minutos depois o co-piloto apareceu no corredor e perguntou para o menino se ele gostaria de pilotar o avião. O diabinho olhou para o pai e para a mãe, sem acreditar no que ouvira. E pronto! Durante quase todo o resto do percurso o garoto ficou na cabine de comando, fingindo que pilotava o avião. E ninguém mais ouviu um pio do pentelhinho.“

Em vez de olhar o problema por nossa perspectiva, aquela moça olhou pela perspectiva do moleque…

Mudando a perspectiva, mudamos o mundo.”

Luciano Pires

Qual são os seus sonhos?

julho 4, 2010

Você tem uma lista de sonhos? Ou uma lista das coisas que você gostaria de ver no mundo?

Pois bem, acessando o site do Prêmio Nobel da Paz, Muhammad Yunus, encontrei a lista de seus sonhos.

Antes de clicar, me perguntei: O que você acha que são os sonhos de um Prêmio Nobel da Paz, agraciado por inúmeras condecorações, membro da vanguarda por um sistema empresarial mais justo? Reconhecimento não estaria na lista com certeza. Você poderia pensar ” Que seu banco fosse o número #1 do mundo em empréstimos”. Não é. Descobri coisas muito mais simples e essenciais.

Achei muito interessante. Pelo trabalho e resultados que ele vêm alcançando, não encaro como demagogia ou hipocrisia essa lista. Vou transcrevê-la e traduzi-la:

* There will be a global government to resolve issues of conflict between nations, and regions; to see that all parts of the world enjoy the similar quality of life; to pay attention to global human issues; to protect the planet, and the interest of all living beings on the planet. (Haverá um governo global para resolver assuntos de conflito entre as nações, e regiões; para olhar para todas as partes do mundo e observar que elas disfrutam da mesma qualidade de vida; para prestar atenção a questões humanas; para proteger o planeta, e os interesses de todos os seres vivos.)

* Income inequality will become an irrelevant issue ­ everybody will get everything he/she needs. (Desigualdade de renda será um assunto irrelevante. Todos receberão tudo que precisam.)

* There will be only one currency. Coins and papers currency will be gone. (Não haverá câmbio de moedas. Dinheiro, moeda, cédula vão desaparecer.)

* The sun, water, wind will be the main sources of power. (O Sol, água e vento serão as principais fontes de energia.)

* No need of paper. No need to cut trees. There will be synthetic re-usable papers, in case ‘paper’ is absolutely needed. (Não haverá necessidade de papel. Não haverá corte de árvores. Haverá um papel reciclável sintético, para os casos de necessidade de uso do papel.)

* Social businesses will become a substantial part of the business world. (Negócios Sociais serão parte substancial do mundo dos negócios.)

* Information on all bank accounts anywhere in the world will be in the public domain. (Informações bancárias em qualquer lugar no mundo serão de domínio público.)

* Basic connectivity will be wireless and costless. (Conectividade básica será sem fio e a custo baixo.)

* Cures and preventions will be available to each person for all known diseases. (Curas e prevenções a todas as doenças serão disponíveis para cada um.)

* All cultures, cultural groups, and religions flourish to their full beauty and creativity, all contributing to the magnificent unified orchestra of human living. (Todas as culturas, grupos culturais e religiões florescerão para o belo e criatividade,  contribuindo para a orquestra única magnífica que é o viver da humanidade.)

* No war. No war preparations. No military establishment to fight wars. (Sem guerras, sem corridas armamentistas. Sem instituição militar para as guerras.)

* No passport, no visa for anybody any where in the world. All people will be truly global citizens of equal status. (Sem passaporte ou visto para ninguém em nenhum lugar no mundo.Todas as pessoas serão cidadãos do mundo, com o mesmo status.)

* People from all nations and backgrounds have a fair chance in participating in the great adventures of human being ­ expanding the horizons of human knowledge and creativity. (Todos as pessoas, de todas as nações e lugares , com chances justas de participar da maravilhosa aventura de expandir os horizontes do conhecimento e da criatividade humana.)

* Man will have the capability to forecast earthquake, cyclone, Tsunami, and other natural disasters, precisely and well ahead of time. (o Homem terá a capacidade de prever terremotos, cliclones, tsunamis e outros disastres naturais, de forma precisa e a tempo.)

* Everybody will read and hear everything in his language. Technology will make it possible for a person to speak, read, and write in his own language while listener will listen and reader will read the message in his own language. Softwares and gadgets will interpret, translate simultaneously as one speaks or downloads any text. One can watch any TV channel from any where but will listen the voice in his language. (Todos irão ler e ouvir em sua própria lingua. A tecnologia possibilitará falar, ler e escrever em sua própria lingua enquanto ouvintes  e leitores receberão a mensagem em suas próprias linguas. Softwares e equipamentos irão interpretar, traduzir simultaneamente ou baixar qualquer arquivo. Cada um poderá assistir TV de qualquer lugar mas escutarão a voz em sua lingua.)

* Anybody can get connected to anybody else any where in the world without first looking for the telephone number or email address. Some minimum information (such as, a picture) will be enough to get him connected by voice or text. (Qualquer um poderá estar conectado a qualquer um outro em qualquer lugar do mundo sem olhar para o número do telefone ou endereço de e-mail. Algumas informações mínimas (como uma foto) serão suficientes para conectá-lo por voz ou texto.)

* Vaccines will be available for all communicable diseases (HIV/AIDS, TB, Malaria, etc.). (Vacinas estarão disponíveis para todas as doenças contagiosas)

* Every baby will be born in perfect health. No infant mortality. No maternal mortality. ( Todo bebê nascerá em perfeita saúde. Não haverá mortalidade infantil.)

Sinceramente, me fez refletir (e muito) sobre o que sonho para esse mundo.

E você? Sonha com o que?

Abraços,

DC