Archive for the ‘Boca no trombone’ Category

Aspen Ideas Festival

julho 1, 2011

Aconteceu essa semana o Aspen Ideas Festival, evento análogo ao TED, que tem por objetivo discutir idéias. E vocês sabem o quanto este blog é adepto
às novas idéias. Portanto, deixo o site para vocês navegarem e ouvirem as palestras e áudios.

http://www.aifestival.org/

Sds,

DC

Anúncios

SOS Bombeiro

junho 9, 2011

Ato pacífico de apoio aos bombeiros militares do estado do Rio de Janeiro e repúdio à prisão dos 439.

Domingo, 12/06, às 9h, em frente do Copacabana Palace.

Vá de vermelho!

A professora que ensina

maio 20, 2011

Essa semana um discurso deu o que falar. Não é sobre o apoio do Obama sobre o estado palestino (aliás também é um discurso interessante). É de uma professora do rio Grande do Norte, chamada Amanda Gurgel.

Com propriedade, ela discursou e mostrou o que temos visto a muito tempo. A falta de prioridade da educação.

Com apenas 3 dígitos, R$ 930 (seu salário básico), e muita informação do dia-a-dia (Transporte, salas lotadas e sem infra-estrutura, falta de um plano de cargos e salários adequado..), ela quebrou todas as estatísticas e pseudo-planos que a secretária de educação mostrou. As estatísticas não mostram a realidade.

Vídeo

Parabéns professora.

Parabéns professores!!! Vocês são verdadeiros heróis.

Sds,

DC

Precisamos mais disso

maio 13, 2011

Um grupo de alunos liderado pelo Prof.: Cândido Oswaldo de Moura decidiram montar um satélite. Isso mesmo. Alunos, na faixa etária de 11 anos, juntamente com o professor de matemática, decidiram montar um picosatélite (satélites menores que 1kg). A idéia é estimular o gosto pela área.

Fantástico!!  Parabéns ao professor, aos comerciantes que ajudam o projeto, ao INPE que apóia a inciaitiva.

É disso que precisamos meus amigos!! INICIATIVA.

UBATUBASAT

E eu achava que pensava grande…

DC

Simplesmente Brilhante!

maio 13, 2011

25 de novembro de 2010 – traficantes fugindo da polícia atravessam a estrada que é uma das saídas do morro do alemão.

15 de maio de 2011 – uma corrida pelo mesmo trajeto. Agora pedindo paz.  Simplesmente brilhante.

Uma iniciativa – afroreggae.

Até quando?

abril 20, 2011

No dia 18/04 foi noticiado no site do jornal O Globo um caso do motorista de ônibus Joilson Chagas que encontrou R$ 74.800 em seu ônibus e o entregou ao dono. Seus amigos de empresa o chamaram de “otário”.

Fico muito indignado com o comportamento dos “amigos” do Joilson. A meu ver, isso seria motivo de sobra para uma demissão. Se fosse o dono da empresa de ônibus, não queria ter como empregados pessoas que acham que a desonestidade vale mais do que a honestidade. Atitudes como essa devem ser totalmente repudiadas e combatidas.

São esses mesmos camaradas que acham que deveriam ficar com o dinheiro que reforçam o sentimento de corrupção do país.

Joilson deve ser parabenizado. Os outros reprimidos severamente. Não podemos mais aceitar esse tipode comportamento.

DC

Novos horizontes

abril 12, 2011

Há exatamente 50 anos atrás o homem expandia seus horizontes.

Yuri Gagarin em 12 de abril de 1961 contemplou o planeta terra do espaço. Assim como o homem se lançou ao mar e descobriu não haver monstros marinhos, o homem foi ao espaço e não encontrou Deus(s), como havíamos pensado. Encontrou apenas uma deslumbrante paisagem.

A coluna de hoje é para homenagear o homem (representado pelo Yuri), homenagear o feito e, principalmente, homenagear a expansão dos horizontes humanos.

Hoje temos ainda muitas direções ainda por explorar (o mundo quântico, a mente humana, outras galáxias…). Temos que continuar a fazer as perguntas que movem nossas conquistas.

Para reflexão de todos: “Onde estaríamos hoje sem nossas perguntas?”

Sds,

DC

Morre um Cidadão brasileiro

março 30, 2011

Pequena homenagem deste Blog a um Cidadão Brasileiro (com “C” maiúsculo).

1931-2011

Manifesto Antropófago

fevereiro 16, 2011

Como dito no post da semana passada, nesse mês de fevereiro iremos usar o espaço das quartas para falar de um fato histórico singular: a semana de arte moderna de 1922. O movimento de quebra com os paradigmas exteriores ao Brasil e a busca de uma identidade nacional fazem parte da essência desse movimento.

Em cima disso, trago para vocês o manifesto antropófago, de Oswald de Andrade, publicado em maio de 1928 na Revista de Antropofagia. Como um dos protagonistas dessa semana, Oswald publica 6 anos depois esse manifesto e impulsiona o movimento de destruição e construção de uma outra identidade nacional. Segue o manifesto:

Manifesto Antropófago

Só a antropofagia nos une. Socialmente. Economicamente. Filosoficamente.

Única lei do mundo. Expressão mascarada de todos os individualismos, de todos os coletivismos. De todas as religiões. De todos os tratados de paz.

Tupy, or not tupy that is the question.

Contra todas as catequeses. E contra a mãe dos Gracos.

Só me interessa o que não é meu. Lei do homem. Lei do antropófago.

Estamos fatigados de todos os maridos católicos suspeitosos postos em drama. Freud acabou com o enigma mulher e com outros sustos da psicologia impressa.

O que atrapalhava a verdade era a roupa, o impermeável entre o mundo interior e o mundo exterior. A reação contra o homem vestido.

O cinema americano informará.

Filhos do sol, mãe dos viventes. Encontrados e amados ferozmente, com toda a hipocrisia da saudade, pelos imigrados, pelos traficados e pelos touristes. No país da cobra grande.

Foi porque nunca tivemos gramáticas, nem coleções de velhos vegetais. E nunca soubemos o que era urbano, suburbano, fronteiriço e continental. Preguiçosos no mapa-múndi do Brasil.

Uma consciência participante, uma rítmica religiosa.

Contra todos os importadores de consciência enlatada. A existência palpável da vida.

E a mentalidade prelógica para o Sr. Levi Bruhl estudar.

Queremos a revolução Caraíba. Maior que a Revolução Francesa. A unificação de todas as revoltas eficazes na direção do homem. Sem nós a Europa não teria sequer a sua pobre declaração dos direitos do homem.

A idade do ouro anunciada pela América. A idade de ouro. E todas as girls.

Filiação. O contato com o Brasil Caraíba. Oú Villegaignon print terre. Montaigne. O homem natural. Rousseau. Da Revolução Francesa ao Romantismo, à Revolução Bolchevista, à Revolução surrealista e ao bárbaro tecnizado de Keyserling. Caminhamos.

Nunca fomos catequizados. Vivemos através de um direito sonâmbulo. Fizemos Cristo nascer na Bahia. Ou em Belém do Pará.

Mas nunca admitimos o nascimento da lógica entre nós.

Contra o Padre Vieira. Autor do nosso primeiro empréstimo, para ganhar comissão. O rei analfabeto dissera-lhe: ponha isso no papel mas sem muita lábia. Fez-se o empréstimo. Gravou-se o açúcar brasileiro. Vieira deixou o dinheiro em Portugal e nos trouxe a lábia.

O espírito recusa-se a conceber o espírito sem corpo. O antropomorfismo. Necessidade da vacina antropofágica. Para o equilíbrio contra as religiões de meridiano. E as inquisições exteriores.

Só podemos atender ao mundo orecular.

Tínhamos a justiça codificação da vingança. A ciência codificação da Magia. Antropofagia. A transformação permanente do Tabu em totem.

Contra o mundo reversível e as idéias objetivadas. Cadaverizadas. O stop do pensamento que é dinâmico. O indivíduo vítima do sistema. Fonte das injustiças clássicas. Das injustiças românticas. E o esquecimento das conquistas interiores.

Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros. Roteiros.

O instinto Caraíba.

Morte e vida das hipóteses. Da equação eu parte do Kosmos ao axioma Kosmos parte do eu. Subsistência. Conhecimento. Antropofagia.

Contra as elites vegetais. Em comunicação com o solo.

Nunca fomos catequizados. Fizemos foi Carnaval. O índio vestido de Senador do Império. Fingindo de Pitt. Ou figurando nas óperas de Alencar cheio de bons sentimentos portugueses.

Já tínhamos o comunismo. Já tínhamos a língua surrealista. A idade de ouro.

Catiti Catiti Imara Notiá Notiá Imara Ipejú.

A magia e a vida. Tínhamos a relação e a distribuição dos bens físicos, dos bens morais, dos bens dignários. E sabíamos transpor o mistério e a morte com o auxílio de algumas formas gramaticais.

Perguntei a um homem o que era o Direito. Ele me respondeu que era a garantia do exercício da possibilidade. Esse homem chamava-se Galli Matias. Comi-o.

Só não há determinismo, onde há mistério. Mas que temos nós com isso?

Contra as histórias do homem, que começam no Cabo Finisterra. O mundo não datado. Não rubricado. Sem Napoleão. Sem César.

A fixação do progresso por meio de catálogos e aparelhos de televisão. Só a maquinaria. E os transfusores de sangue.

Contra as sublimações antagônicas. Trazidas nas caravelas.

Contra a verdade dos povos missionários, definida pela sagacidade de um antropófago, o Visconde de Cairu:-É a mentira muitas vezes repetida.

Mas não foram cruzados que vieram. Foram fugitivos de uma civilização que estamos comendo, porque somos fortes e vingativos como o Jabuti.

Se Deus é a consciência do Universo Incriado, Guaraci é a mãe dos viventes. Jaci é a mãe dos vegetais.

Não tivemos especulação. Mas tínhamos adivinhação. Tínhamos Política que é a ciência da distribuição. E um sistema social-planetário.

As migrações. A fuga dos estados tediosos. Contra as escleroses urbanas. Contra os Conservatórios, e o tédio especulativo.

De William James a Voronoff. A transfiguração do Tabu em totem. Antropofagia.

O pater famílias e a criação da Moral da Cegonha: Ignorância real das coisas + falta de imaginação + sentimento de autoridade ante a pro-curiosa (sic).

É preciso partir de um profundo ateísmo para se chegar à idéia de Deus. Mas o caraíba não precisava. Porque tinha Guaraci.

O objetivo criado reage como os Anjos da Queda. Depois Moisés divaga. Que temos nós com isso?

Antes dos portugueses descobrirem o Brasil, o Brasil tinha descoberto a felicidade.

Contra o índio de tocheiro. O índio filho de Maria, afilhado de Catarina de Médicis e genro de D. Antônio de Mariz.

A alegria é a prova dos nove.

No matriarcado de Pindorama.

Contra a Memória fonte do costume. A experiência pessoal renovada.

Somos concretistas. As idéias tomam conta, reagem, queimam gente nas praças públicas. Suprimamos as idéias e as outras paralisias. Pelos roteiros. Acreditar nos sinais, acreditar nos instrumentos e nas estrelas.

Contra Goethe, a mãe dos Gracos, e a Corte de D. João VI.

A alegria é a prova dos nove.

A luta entre o que se chamaria Incriado e a Criatura-ilustrada pela contradição permanente do homem e o seu Tabu. O amor quotidiano e o modus vivendi capitalista. Antropofagia. Absorção do inimigo sacro. Para transformá-lo em totem. A humana aventura. A terrena finalidade. Porém, só as puras elites conseguiram realizar a antropofagia carnal, que traz em si o mais alto sentido da vida e evita todos os males identificados por Freud, males catequistas. O que se dá não é uma sublimação do instinto sexual. É a escala termométrica do instinto antropofágico. De carnal, ele se torna eletivo e cria a amizade. Afetivo, o amor. Especulativo, a ciência.

Desvia-se e transfere-se. Chegamos ao aviltamento. A baixa antropofagia

aglomerada nos pecados do catecismo-a inveja, a usura, a calúnia, o assassinato. Peste dos chamados povos cultos e cristianizados, é contra ela que estamos agindo. Antropófagos.

Contra Anchieta cantando as onze mil virgens do céu, na terra de Iracema-o patriarca João Ramalho fundador de São Paulo.

A nossa independência ainda não foi proclamada. Frase típica de D. João VI:-Meu filho, põe essa coroa na tua cabeça, antes que algum aventureiro o faça! Expulsamos a dinastia. É preciso expulsar o espírito bragantino, as ordenações e o rapé de Maria da Fonte.

Contra a realidade social, vestida e opressora, cadastrada por Freud-a realidade sem complexos, sem loucura, sem prostituições e sem penitenciárias do matriarcado de Pindorama.

Oswald de Andrade

Em Piratininga

Ano 374 da deglutição do Bispo Sardinha.

Revista de Antropofagia (São Paulo), n.1, ano 1, maio de 1928

Comece com você

dezembro 27, 2010

Todos reclamamos dos governantes. Porém, esquecemos que eles são reflexo de toda uma sociedade. Uma das grandes mensagens que este blog tenta passar é para que todos nós sejamos a mudança que queremos ver no mundo.

Este texto veio a mim por e-mail (um desses e-mails virais da internet). Como o próprio assunto do e-mail diz, É PURA VERDADE.

Tá Reclamando do Lula? do Serra? da Dilma? do Arrruda? do Sarney? do Collor? Do Renan? do Palocci? do Delubio? Da Roseanne Sarney? Dos politicos distritais de Brasilia? do Jucá? do Kassab? dos mais 300 picaretas do Congresso? E você?

Brasileiro Reclama De Quê?

O Brasileiro é assim:

1. – Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.

2. – Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.

3. – Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.

4. – Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, dentadura.

5. – Fala ao celular enquanto dirige.

6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.

7. – Para em filas duplas, triplas em frente às escolas.

8. – Viola a lei do silêncio.

9. – Dirige após consumir bebida alcoólica.

10. – Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.

11. – Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.

12. – Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.

13. – Faz ” gato ” de luz, de água e de tv a cabo.

14. – Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.

15. – Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.

16. – Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.

17. – Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.

18. – Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.

19. – Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.

20. – Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.

21. – Compra produtos pirata com a plena consciência de que são pirata.

22. – Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.

23. – Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.

24. – Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.

25. – Frequenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.

26. – Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis…. como se isso não fosse roubo.

27. – Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.

27. – Falsifica tudo, tudo mesmo… só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.

28- Mente a idade para tomar vacina que o governo estipulou faixa etária,para poder atender os mais criticos.

30. – Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.

31. – Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.  

32- Mente idade dos filhos para pagar mais barato em estabelecimentos como parques e cinemas.

33- Percebe que a moça do caixa se atrapalhou e deu troco a mais ou deixou de cobrar algo e finge que não percebeu.Ainda sai contando vantagem para todo mundo.

E quer que os políticos sejam honestos…

Escandaliza- se com a farra das passagens aéreas…

Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?

Brasileiro reclama de quê, afinal?

(Cada povo tem o governo que merece)

E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!

Vamos dar o bom exemplo !

Espalhe essa idéia !

A mudança deve começar dentro de nós, nossas casas, nossos valores, nossas atitudes e assim provavelmente, um dia teremos politicos melhores !