Archive for abril \30\UTC 2011

Celebrando o fracasso

abril 30, 2011

Ladies and Gentlemen, Luciano Pires.

Antes de me dedicar a palestras, podcasts, radio e internet, fui executivo de uma multinacional. Por pouco tempo, só 26 anos… Numa das mudanças da empresa, lá por 1993, tive a chance de montar para meu departamento um escritório completo a partir do zero. Chamei a arquiteta e falei:

– Sem paredes!

E construí o que foi durante alguns anos o escritório de meus sonhos. Todo mundo conectado, respirando o mesmo ar, agitando. Sempre gostei de ação, gente falando alto e andando pra lá e pra cá. Isso garantia um certo caos criativo, adrenalina, tensão e a sensação de que as coisas estavam acontecendo.

No dia da mudança surgiu um impasse: onde colocar os vários troféus, placas, quadrinhos e todo tipo de objetos que um dia marcaram alguma premiação, conquista ou celebração? Não tive dúvidas: comprei um cestão de lixo bem bonito e transparente e coloquei todos os troféus dentro dele, inclusive os novos. E deixei bem à vista, na entrada do departamento. A turma estranhou, mas logo entendeu a mensagem: o sucesso do passado não garante o futuro.

Semana passada, limpando minha caixa postal encontrei um email:

“Olá Luciano. Sobre os livros apresentados, não tivemos sinalização positiva de nosso Conselho Editorial. Agradecemos sua atenção e estamos à disposição. Atenciosamente, Fulana de Tal, novembro de 2010”

Era uma resposta da Editora Saraiva, que me havia sido indicada por um conhecido como uma possível editora para meus livros. O recado implícito do email era: “seu trabalho não nos interessa”.

Formatei o email bem bonitinho, imprimi e pedi para emoldurar. Minha assistente estranhou:

– Pô, mas o conteúdo é negativo!

Pois é. Se aqueles troféus no lixo mostravam que o sucesso do passado não garante o futuro, esse quadrinho me lembrará diariamente que tem gente que não se encanta com meu trabalho, que o fracasso faz parte de meu dia a dia, que sou falível como qualquer ser humano. Que não estou com a bola toda.  E cada vez que eu entrar em minha sala e encontrar o quadrinho, vou me sentir provocado e desafiado:

– Ah é, é? Vou mostrar pra eles!

Isso é o que eu chamo de “celebrar o fracasso”: aprender com nossos insucessos, transformar os momentos em que quebramos a cara em novos pontos de partida. Receber um “não” como um desafio. Inverter o sinal, transformando o que deveria ser um fator desmotivador, numa provocação capaz de incendiar meu espírito e – acima de tudo – me inspirar.

Oba! O quadrinho chegou!

Deixa pendurar na parede.

Luciano Pires

Anúncios

Dia mundial dos desejos

abril 29, 2011

Ao vasculhar o Blog Inspiração Coletiva da Brastemp, encontrei o post de ontem dizendo que hoje é o Dia Mundial dos Desejos. Leia abaixo.

Realizar desejos de outras pessoas é tão bom quanto ter seus próprios desejos realizados! O World Wish Day, que acontece amanhã  (29/04), é promovido pela Make-A-Wish Foundation e vai realizar os desejos de crianças com doenças graves.

Todo o fundo arrecadado na campanha será revertido para que um sonho dos pequenos seja atendido.

Te convidamos a participar dessa bonita iniciativa. Você pode ser voluntário da Make-A-Wish Foundation e sua empresa também pode contribuir, doando algum produto que realize o desejo de uma criança.

Você também pode contar para seus amigos sobre o World Wish Day pelo twitter, usando a hashtag #WorldWishDay, colocar um banner ou escrever um post em seu blog.

Caso você queira contribuir com algum valor, é possível fazer uma doação via PayPal ou PagSeguro, clicando aqui.

Para saber mais sobre este projeto, conheça o twitter, blog, facebook, canal no youtube e flickr do World Wish Day.

A blogueira Anita, do Objetos de Desejo, já está participando. Faça parte você também! Afinal, não há nada mais inspirador do que o sorriso de uma criança!

************

Esse post me lembrou de uma das minhas visões de mundo. Acho que poucos sonham/desejam algo. E os que fazem, a maioria das vezes, sonham com coisas individuais (uma casa, um carro…). Poucos são aqueles que sonham com coisas para o coletivo. Estou certo? Corrijam-me se estiver errado! É preciso que mais pessoas sonhem com o bem coletivo. Precisamos fazer algo.

Sds,

DC

Em uma tarde de outono

abril 28, 2011

Em uma Tarde de Outono

Outono. Em frente ao mar. Escancaro as janelas
Sobre o jardim calado, e as águas miro, absorto.
Outono… Rodopiando, as folhas amarelas
Rolam, caem. Viuvez, velhice, desconforto…

Por que, belo navio, ao clarão das estrelas,
Visitaste este mar inabitado e morto,
Se logo, ao vir do vento, abriste ao vento as velas,
Se logo, ao vir da luz, abandonaste o porto?

A água cantou. Rodeava, aos beijos, os teus flancos
A espuma, desmanchada em riso e flocos brancos…
Mas chegaste com a noite, e fugiste com o sol!

E eu olho o céu deserto, e vejo o oceano triste,
E contemplo o lugar por onde te sumiste,
Banhado no clarão nascente do arrebol…

Olavo Bilac, in “Poesias”

Para nos lembrarmos da estação de estamos.

DC

Gente vicia?

abril 27, 2011

No blog do jornalista Armando Antenore (Blog das perguntas) encontrei uma charge muito interessante, acompanhado pela pergunta “Gente vicia?”

“Claro que você se sente ótimo. Essas coisas estão cheias de antidepressivos.”

Idéias para erradicar a miséria

abril 27, 2011

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo lançou uma série de vídeos a fim de debater sobre a erradicação da miséria. Os leitores do blog sabem que notícias e ações para erradicar a miséria tem espaço garantido aqui.

Reproduzirei aqui, nas próximas semanas às quartas, os capítulos dessa série. Os textos abaixo são extraídos do site do IPC-IG.

Sobre o IPC-IG

O Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo (IPC-IG) é o fórum global das Nações Unidas para o diálogo e aprendizado Sul-Sul sobre políticas inovadoras para o crescimento inclusivo. A partir de sua sede em Brasília, o IPC-IG dedica-se à promoção de conhecimento entre os países em desenvolvimento visando à formulação, implementação e avaliação de políticas e programas que levem a um processo de crescimento com inclusão social.

Série “Idéias para erradicar a miséria”

O desafio da erradicação da miséria entrou de vez para a agenda política dos líderes mundiais. O Brasil, expoente entre as economias emergentes, figura entre os principais representantes dessa luta, que busca aliar o desenvolvimento econômico à integração social daqueles que ficaram de fora da distribuição dos frutos desse crescimento. A série “Ideias para Erradicar a Miséria” busca promover o debate sobre estratégias de proteção social a partir das experiências dos países em desenvolvimento.

A série consistirá em sete capítulos semanais, que abordarão diversas questões e enfoques sobre a temática da erradicação da pobreza extrema, tais como conceitos de proteção social, diferentes abordagens sobre a gestão de programas de transferência de renda, inovações na geração de empregos e agricultura familiar. Cada capítulo trará um episódio do documentário “Uma Jornada pela Proteção Social no Brasil”, produzido em dezembro de 2010 no âmbito do Programa África-Brasil de Cooperação em Desenvolvimento Social, bem como publicações e materiais de referências do IPC-IG e de sua rede de parceiros.

Capítulo 1: Introdução à proteção social

A proteção social é um importante instrumento de política pública para enfrentar a exclusão social, a desigualdade e a pobreza. Ela abrange tanto o seguro social como a assistência social. A última pode ser proporcionada na forma de manutenção da renda e/ou em transferências em espécie bem como em serviços sociais. Os programas de proteção social contribuem significativamente para a realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODMs).

Há um interesse crescente em como os programas de proteção social e de transferência de renda causam impacto sobre a pobreza, desigualdade e inclusão social. A onda de iniciativas na América Latina, como o Oportunidades no México e o Bolsa Família no Brasil desencadearam debates sobre o seu potencial, bem como seus limites. Estudos indicam que as transferências de renda incentivam uma maior utilização de serviços públicos, como educação e saúde, e proporcionam um complemento vital para famílias pobres.

Vídeo1 – Introdução à Proteção Social

Há também no link acima um audio com a primeira parte da entrevista do IPC-IG à Rádio Câmara.

Sds,

DC

Projetos de código aberto para a civilização

abril 26, 2011

Realmente uma idéia que realmente mudará como as coisas são feitas. Imagine um faça você mesmo para as coisas que precisamos, fazendo com que as próprias pessoas consigam as ferramentas necessárias para sua subsistência.

Usando wikis e ferramentas digitais de fabricação, o TED Fellow Marcin Jakubowski está criando projetos de código aberto para 50 máquinas agrícolas, permitindo que qualquer pessoa construa do zero seu próprio trator ou ceifadeira. E este é só o primeiro passo em um projeto que pretende escrever um conjunto de instruções para uma vila totalmente auto-sustentável (custo inicial: $10.000).

http://www.ted.com/talks/lang/por_br/marcin_jakubowski.html

Boas idéias estão nascendo.

DC

Inspiração que vem de dentro

abril 25, 2011

Uma das minhas maiores lembranças de quando era criança é a de desmontar brinquedos para saber como eram as engrenagens. As obras me levaram para essa época.

O Blog é uma iniciativa da Brastemp.

Todo mundo já teve na família, ou pelo menos conhece a história, de um menino que chegava na casa de um parente e, sorrateiramente, desaparecia com um rádio. Não, ele não era um cleptomaníaco! Na verdade, ele era um “desmontador“. E aí, depois de uns bons safanões da mãe, o danado tinha que quebrar a cabeça para devolver o rádio funcionando para a tia, e aprendia que não se deve desmontar os equipamentos alheios.
O inglês Todd McLellan certamente viveu situações muito parecidas com esta que acabamos de contar! Uma vez te apresentamos aqui uma artista plástica que mostra o lado inverso das coisas. No caso de Todd, sua obra apresenta o lado de dentro das coisas. Meticulosamente, o artista desmonta elementos do nosso cotidiano, como relógios, telefones e máquinas de escrever. E, como num “anti quebra-cabeça”, Todd organiza as trocentas pecinhas que encontra, e fotografa as composições. E deste caos organizado, nascem lindas imagens, harmoniosas e inusitadas.

Se seu telefone quebrar, não esqueça de convidar aquele seu sobrinho arteiro, que a mãe chama com orgulho de “pequeno inventor”, para visitar a sua casa!

A inércia

abril 25, 2011

Não pude manter atualizado o Blog nesse feriadão. Mas não deixarei os leitores do Blog sem as colunas do Luciano Pires e do Blog Inspiração Coletiva. Hoje será um post duplo.

Primeiramente o artigo do Luciano Pires. Com uma pergunta no final que é um soco.

Há exatos dez anos, depois de retornar de uma viagem transformadora ao Everest e observar nosso cenário político, social e cultural, concluí que o Brasil estava emburrecendo. E decidi resistir. Minha causa passou a ser o que chamei de “despocotização” do Brasil. Escrevi centenas de artigos, lancei livros, sites e palestras. Passei a comentar no rádio. E aos 52 anos deixei um sólido emprego para mergulhar na aventura de ser um empreendedor cultural brasileiro.

Não é fácil, viu? Todo dia é uma luta, mas acordo de manhã com uma coisa preciosa que havia perdido: tesão. O tesão de saber que estou lutando por algo que vale a pena, muito maior que simplesmente ganhar algum dinheiro. A causa que defendo, meu propósito, me anima, me motiva, me deixa disposto a seguir em frente. Deixa-me louco por brigar. Tira-me da inércia.

Issac Newton escreveu que “um objeto que está em repouso ficará em repouso até que uma força desequilibradora atue sobre ele.” É a Lei da Inércia, que se aplica a nossas vidas: quando encontramos uma zona de conforto, é lá que, inertes, permanecemos. O curioso é que a maioria das pessoas nem percebe que está inerte. Olha só: a coisa que você mais faz em seu dia a dia é repetir o que você fez no dia anterior. Você acorda igual, toma café igual, se veste igual, vai pro trabalho ou para a escola pelo mesmo caminho, almoça nos mesmos lugares. A maior parte de sua vida é consumida com repetições, até que uma força desequilibradora tira você desse ciclo. Uma demissão. Uma promoção. Uma desilusão amorosa. Uma tragédia.

Enquanto a força não surge, ficamos ali repetindo, repetindo, repetindo…

Para quebrar esse ciclo por iniciativa própria só tem um jeito: encontrar uma causa, um propósito. E agir com disciplina.

Comece por avaliar cada atividade importante que você pratica no dia a dia. Quanta satisfação (e sensação de que você está defendendo uma causa) essa atividade proporciona? Por exemplo, indo pro trabalho. Você toma um ônibus e fica dentro dele durante uma hora e meia. Quanto de satisfação e de sensação de que isso ajuda a defender uma causa você tem? Nenhuma? Pô, ficar 90 minutos dentro do ônibus é um tempo perdido, não é?

Pois é. Mas a simples constatação da contribuição nula que esse processo fundamental– o transporte de casa para o trabalho e vice-versa – traz para sua causa, já vai lhe colocar na posição incômoda de ter que fazer algo a respeito. Ajudará você a começar a superar a inércia.

– Se vou ficar 90 minutos dentro de um ônibus, vou ler um livro. Ou então comprarei um tocador de mp3 pra ir ouvindo uma aula de inglês! Ou, melhor ainda, pra ouvir o podcast Café Brasil do Luciano Pires! Em noventa minutos eu ouço três programas e faço com que aquele tempo até hoje perdido sirva para alguma coisa…

Sacou? Se você não avaliar cada processo que consome seu tempo de vida, em relação à causa que você defende, acabará se acostumando com eles. E permanecerá inerte, fazendo aquilo que é a nossa natureza: repetir hoje o que fizemos ontem. Até morrer.

Uma causa. Um propósito. Qual é o seu?

Luciano Pires

Até quando?

abril 20, 2011

No dia 18/04 foi noticiado no site do jornal O Globo um caso do motorista de ônibus Joilson Chagas que encontrou R$ 74.800 em seu ônibus e o entregou ao dono. Seus amigos de empresa o chamaram de “otário”.

Fico muito indignado com o comportamento dos “amigos” do Joilson. A meu ver, isso seria motivo de sobra para uma demissão. Se fosse o dono da empresa de ônibus, não queria ter como empregados pessoas que acham que a desonestidade vale mais do que a honestidade. Atitudes como essa devem ser totalmente repudiadas e combatidas.

São esses mesmos camaradas que acham que deveriam ficar com o dinheiro que reforçam o sentimento de corrupção do país.

Joilson deve ser parabenizado. Os outros reprimidos severamente. Não podemos mais aceitar esse tipode comportamento.

DC

Carro sem motorista

abril 19, 2011

Como apresentado no vídeo de hoje, poderíamos ter diversos benefícios com a massificação da tecnologia de direção sem o humano: menos mortes, menos trânsito, menos consumo de energia… Realmente uma tecnologia revolucionária.

Um vídeo que mostra o que vai vir.

Sebastian Thrun: O carro sem motorista da Google

Sebastian Thrun ajudou a contruir o extraordinário carro sem motorista da Google, motivado por uma busca pessoal no sentido de salvar vidas e reduzir os acidentes de trânsito. O vídeo de cair o queixo mostra o carro vencedor do Desafio DARPA circulando através do intenso tráfego urbano sem ninguém ao volante, e imagens dramáticas do test drive do TED 2011 demonstram como isso pode progredir rapidamente.