O que nos diferencia dos animais?

Recebi um texto de uma amiga, Flávia Melo, que me chamou a atenção. Decidir publicá-lo e assim inaugurar a participação de outras pessoas aqui no Blog. Ela escreveu sobre a diferença entre irritabilidade e sensibilidade. Você sabe diferenciá-las?

” Me lembro bem , que ainda no ensino fundamental aprendi nas aulas de biologia a diferença entre sensibilidade e irritabilidade. E é bem simples: a irritabilidade é sua capacidade de reagir a algo, assim sempre que se tem um estimulo, instantaneamente se reage da forma programada. Ou seja, para o mesmo estímulo a mesma ação, sempre.

Traduzindo em prática: irritabilidade então pode ser vista sempre que uma mulher em período pré menstrual (ai a palavra se encaixa perfeitamente) vê um a chocolate e o devora. Instintivamente seu impulso é devora-ló. Indenpendente das promessas da ultima semana (até porque ela nem lembra disso), ela o faz.

Quanto a sensibilidade, é a capacidade de agir, ou seja, de a partir de um estimulo, selecionar qual a melhor ação a realizar. Nesse caso a ação é racional, consciente e pressupõe uma leitura completa da situação.

Traduzindo em prática: sensibilidade então pode ser vista sempre que uma mulher em período pré menstrual vê um a chocolate, pensa em devora-ló, pensa que aquele é um prazer momentaneo e seu objetivo é não engordar ou (como na maioria das vezes) emagrecer e não o faz. Instintivamente seu impulso é devora-ló, mas ela conscientemente não o faz.

Bom, mas por quê aprendemos isso na aula de biologia? Porquê o que nos diferencia dos demais animais é a nossa sensibilidade. Ainda sim , muitas vezes me questiono se muitos animais não agem com mais sensibilidade que muitos homens…

Por fim, sejamos mais humanos e como tal sensíveis.

Para finalizar segue a transcrição de pequeno texto:

“Quando reagimos a algo, estamos dando tapinhas em nosso instinto animal. Até onde sabemos, os animais não conseguem acessar aquela fração de segundos, antes de uma reação. Os desejos deles são compulsivos, assim como suas reações; eles vão atrás de gratificação instantânea.

Entretanto quando primeiramente pausamos ou restringimos nossas reações, estamos tocando em nossa “natureza Deus” (God nature). Estamos optando por não sermos mais o efeito de nosso desejo.Ao invés disso, estamos escolhendo ser a causa.

Restrição, a propósito, não significa que não decidiremos saciar aquele desejo, afinal de contas. Significa simplesmente que nós pausamos e fazemos uma decisão consciente.

Hoje, faça aquilo que você sempre faz. Mas tenha certeza de que você esta fazendo por escolha, e não por hábito.” YEHUDA BERG

Somos animais e humanos. Reagimos instintivamente e racionalmente. Será que há uma lista de situações que devemos agir institntivamente e outra lista de situações que devemos pensar antes de agir? Devemos pensar em tudo ou não pensar em nada e agir de forma animalesca?

Nem ao céu, nem a terra. Devemos buscar um equilíbrio. Às vezes, agir sem pensar produz efeitos incríveis, mas como a bebida, devemos usar com moderação.

Pense nisso.

Abraços,

DC

 

Anúncios

Tags: , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: